Whatsapp
Whatsapp
TRATAMENTOS

ÚTERO DE SUBSTITUIÇÃO

Popularmente conhecido como “Barriga de Aluguel”, o Útero de Substituição
é o nome dado à mulher que vai gestar os embriões de outra pessoa.
ibrra

O que é Útero de Substituição?

A impossibilidade de a outra mulher gestar pode ocorrer por contraindicação médica ou porque o útero foi retirado. Esse caso requer a Fecundação in Vitro (FIV) precedida de um tratamento com os oócitos da paciente que não pode gestar e o sêmen do seu parceiro ou de um doador. Os embriões formados desta união são transferidos para o útero de substituição. Então vai ser outra mulher que vai engravidar e gestar para o casal. No Brasil, esse tratamento precisa ser feito com um útero de parentes de primeiro, segundo, terceiro ou até quarto grau. Então a mulher que vai receber o embrião precisa ser mãe, filha, irmã, avó, neta, tia ou prima da paciente ou do seu parceiro. Caso a paciente ou o seu parceiro não tenham parentes aptas, é preciso fazer um pedido formal ao Conselho Regional de Medicina (CRM).

Saiba mais

Para quem é indicado o Útero de Substituição?

Como funciona o Útero de Substituição?

Como é feita a Inseminação Artificial?

Como funciona o Congelamento de Óvulos?

Primeira Consulta
Após a indicação médica, a paciente precisa decidir de quem vai ser o útero de substituição. As consultas e os procedimentos previstos no tratamento vão ter sempre a presença da portadora dos oócitos e da paciente que vai gestar. Depois da consulta com o casal e a futura gestante, as pacientes passam por avaliações clínica e física e são submetidas a ultrassonografias endovaginais. O especialista do Ibrra explica o tratamento e suas etapas em detalhes para os envolvidos no processo.
Preparo e Estímulo
Depois de emitidos os resultados dos exames e os laudos médicos e psicológicos, vem a fase de preparo. A paciente portadora do útero recebe doses adicionais de hormônios, geralmente por meio de adesivos. A paciente que vai gerar os oócitos recebe estímulos ovarianos que vão promover o crescimento de vários folículos com oócitos. Esse estímulo é o mesmo usado na Fecundação in Vitro (FIV).
Punção e Transferência
A paciente que vai ceder os oócitos é encaminhada para o bloco cirúrgico e sedada para fazer a punção folicular. Os oócitos obtidos são fecundados com os espermatozoides do seu parceiro. Assim que entram no estágio de blastocisto (cinco dias depois), os embriões selecionados são transferidos para o útero de substituição. Os embriões excedentes são congelados.
Exame de Gravidez
O teste de gravidez (BHCG) deve ser feito dez dias após a transferência embrionária. Com o tão esperado resultado positivo, a paciente é orientada pelo seu médico a retornar à clínica após 14 dias para uma ultrassonografia. Embora o resultado positivo do teste seja um grande desejo do IBRRA, nem todas as pacientes engravidam na primeira tentativa. Isso é motivo de frustração para os envolvidos no processo, incluindo médicos, enfermeiras e secretárias. Entretanto, o IBRRA orienta o casal a retornar à consulta para analisar o processo realizado e planejar possíveis mudanças em alguma etapa.
Teste de Gravidez
O exame de sangue BHCG deve ser feito 12 dias após a inseminação.
Rolar para cima